quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A o A c a s o


Encontrei-o ali sozinho.

Namorando com seus pensamentos.
Sua segunda palavra, a meu ver, foi uma tentativa de venda.
A mercadoria eram seus argumentos, agonias, alegrias, fetiches...
Histórias pequenas e outras grandes, mas histórias.
Assim era ele: um belo contador de histórias.
Em nossa conversa as palavras ficavam soltas no ar como a fumaça de seu cigarro.
Perdíamos-nos um do outro por alguns momentos, quando nossos olhos eram pescados por moças belas que desfilavam pela calçada.
E assim estávamos nos dois: sentados sobre o degrau de uma porta de bar fechado, de frente para uma bela calçada.
Foi deste modo que nos encontramos. 
Foi deste modo que eu o encontrei.

Nosso diálogo persistia em divagar com o nada. Nossa conversa passeava perdida pelo ar.
Mas para alegria de nossos olhos as moças bonitas continuavam a passar.
Estávamos naquela tentativa de achar razões para nossas escolhas, pois eram diferentes das pessoas consideradas normais. Era claro que a cada verbo tínhamos a consciência do preço a pagar e já pagávamos. 
Mas isso não nos tornava especiais em nada, já que os normais também pagam. 
O que muda é apenas a moeda, porque o gosto é sempre o mesmo.

Com um pequeno sorriso no canto boca eu folheava em minhas mãos parte do que poderia ser fragmentos da vida dele. Entre uma folha e outra eu colhia algumas palavras soltas, como um poema concretista e ouvia a música que saia de seus lábios. Eram certezas de sua vida no presente. 
Bonita música.  Não tinha sofrimento, mas era triste por seu distanciamento.

Acho-me engraçado pensando nisso agora. Mas sei que um dia esse corpo ao meu lado morrerá. No entanto, essas folhas, mesmo que com o tempo fiquem amareladas, já são eternas.
Será que ele sabe que esse momento já se tornou meu fragmento? Não importa.

Nossa! Como são bonitas essas moças que passam pela calçada.

foto: autor desconhecido.

19 comentários:

Algumas coisinhas da Jéssica disse...

Adorei o texto!
Poético e imagético. Bonito e sensível. Gostoso de ler.

Tulla Doo disse...

Sempre poético, super sincero, sensível.

Bjsssssssssss

Ester disse...

Olá André!

Passando para conhecer seu blog..
Gosto da forma como se expressa,
Voltarei mais vezes,

Abraços,

O SEGREDO DOS ESCRITORES disse...

olá!
tudo bom???
muito prazer,me chamo Augusto César...
gostei muito do seu blogger. show de bola!
estou lhe seguindo,me siga também???
http://osegredodosescritores.blogspot.com/

Nalva Nogueira disse...

Oi André,
Obrigada pela visita ao meu blog.
E pelo comentário que fizestes.
Tornei-me seguidora do seu blog, e estou gostando muito de ler os teus escritos.
Obrigada e volte sempre...
Beijos no coração.
Deus te abençoe.

Nalva Nogueira.

Adriana disse...

Argumentos, agonias, alegrias, fetiches são mercadorias interessantes de um contador de histórias. Bela escrita!

Alipio Rangel disse...

Quero começar parabenizando-lhe pela indicação ap 2º Prêmio Blobbooks e venho aqui confirmar que tens todo o merecimento. Gostei do teu blog, gostei demais do que você escreve e realmente só me resta mesmo mais uma vez parabenizar-lhe. Voltarei mais vezes. Grande abraço!

rouxinol de Bernardim disse...

Enfim, um texto para a ETERNIDADE!

Guilherme Augusto Codignolle Souza disse...

Cheguei a vc pela indicação a premiação do Blogbook, e por isso o meu parabéns.

Estarei seguindo para acompanhar o seu trabalho.

Eu tbm tenho um blog. Acesse quando puder e me siga tbm se gostar do que encontrar la ;)

http://codignolle.blogspot.com

Meu Twitter, se vc tiver:

https://twitter.com/guicodignolle

o/

Camila Lemos , disse...

Você escreve bem pra caralho :)
Seguindo!

Angélica Lins disse...

Texto de conteúdo e desfecho: INEFÁVEL!

Permaneço aqui.
Beijo

Francy´s Oliva disse...

Intenso seu texto, o "acaso nos leva a argumentos e emoções.
Bjs

JAIRO PEREIRA disse...

Tu ta foda!!!! Quero o livro!!!!rs
Concurso de cú é rola, vamos fazer o corre!!!!rsrsrsrs
LIVRO!!!!!
Você merece muito!

Bora Matos disse...

Tambem acho que sem ou com concurso ganho esse livro tem que sair....gosto muito de te ler ....mais pessoas tem que conhecer a sua obra e o seu talento, portanto eternizar em um livro sera um otimo passo para seu blog, pensa a tecnologia acaba, e la em uma biblioteca em 2670 esta seu livro e as suas palavras...

PANKADA disse...

Mano. To na torcida. Espero que vença. Nem falo mais contigo no msn porque nunca chega. Entra no fb as vezes. Abração e sorte ai.

Joyce Figueiró disse...

Caí aqui de paraquedas e fui amortecida pela suavidade das suas palavras.

Amei o que vi, de verdade!
Quando tiver mais tempo voltarei por aqui.

Gostei da "sua maneira de escrever" - é leve! Aprecio isso...
Quero ser assim, quando crescer.

Parabéns!

http://reter-essencias.blogspot.com/

Laura Hickmann disse...

Adoro esses textos um tanto quanto subjetivos!!
Muito bom.

Ju Fuzetto disse...

Tão bonito!!

rouxinol de Bernardim disse...

Texto cheio de classe! Realista, poético, magistral, até mais não.

Gostei.