quinta-feira, 19 de junho de 2008

Salsa com Pimenta

Andar na Paulista sem nada a fazer, sem horário a cumprir, sem rumo a seguir, sem o tempo a perseguir.
Ver tudo e nada fazer.
Parar sem prevenir.
Andar sem decidir.
Espaço Unibanco. Ver a seleção e não assistir, hã!
Subir ao frio da tarde na augusta.
Bela Paulista! Com sopa ou capuccino?
Sopa! Feijão e palmito, hã! Que delícia!
Sozinho? Não! Acompanhado: Caderno e lápis na mão.
Pimenta, na sopa, esquenta. Corpo aqueçe, esqueçe corpo.
Salsa na sopa, salsa à noite, dança quente, esfria mente.
Baila, baila garoto, pois a vida é sopa quente com salsa no sangue, frio da augusta na mente e pimenta, muita pimenta calabresa dentro da gente.
Gente moleque de ser!
Gente brincando de ser!
Gente pensando ser!
Gente chorando por ser!
Gente querendo ser!
Gente se achando ser!
Gente buscando ser!
Gente morrendo de ser!
G E N T I L M E N T E sendo o que veio para ser.
E eu pergunto a você, camarada:
Ainda procurando ser? Ser o quê?
Abra os olhos para as suas Paulistas frias. Deguste da sopa até o fim. Lambe os lábios e deixe a pimenta escorrer.
E por fim, por fim.
Baila! Baila uma salsa com a Vida.

16 comentários:

√åℓ disse...

Estou sem palavras!
Como diz o nosso amigo Má, estou bege!
Um poema bem paulista eu diria, mas com um toque todo atrativo...

Eu não quero ser nada... pelo menos nada que se defina, apenas quero estar aqui para continuar sendo algo que nem sei se sou mesmo heheheh! Confuso né?

Mas vou abrir meus olhos para as minhas Paulistas, as vezes esqueço delas e elas fazem falta. Vou degustar de tudo o que eu puder e depois vou dançar ao som de uma bela música... felizinha felizinha!
Espero que você também sempre faça isso e sempre acompanhado de um caderno e um lápis!

Ai que poema delicioso! Amei!
Esperarei ansiosamente pelo próximo, para eu poder viajar junto de cada palavrinha.

Beijos e mais beijos!

Jéssica disse...

Bailar uma salsa com a vida? Sempre!!!
Vc me acompanha?
Adorei o texto, amor! Leve e divertido.

Beijo!

Dani disse...

rs... bem paulistano mesmo isso aqui! Muita vida correndo solta pelo lado de fora, muita coisa passando com pressa pra lá e pra cá. Muita vida percorrendo os caminhos de dentro, procurando portas e janelas pra se conectar. Paulista, frio, sopas, capuccino e festas pra esquentar! heheh... Muito boa pedida, moço! :)

Anônimo disse...

Olá, André...tudo bem?
Mais uma vez, amei seu texto...Paulista, Augusta, etc, etc, etc!

O sabor diário da Salsa com Pimenta em nossas vidas, que vezes deixamos passar despercebido!

Beijo e até a próxima surpresa

Rezú disse...

ô, beleza.
tem coisa melhor?
tem não...

Daniela Patricia dos Santos disse...

Mininu!
Primeira visita e gostei do que encontrei. Em aceno a cidade dos desencontros e dos possíveis te ofereço algo que ressoa com a sua escrita.

bjo

Daniela (danielapatriciads.blogspot.com)

Ir-me foi o desejo-movimento que ficou com as luzes acesas, créditos subindo, fosse sem asas, ou de rodinhas, gosto de subir a rua Augusta de peito tocado e aberto, sal nos olhos, com o tempo na face, alma vagabunda, corpo assombrado e estremecido, porque a vida é lugar muito largo para se permanecer longínqua, inerte, ausente, fugida.

Tulla Duarte disse...

Como sempre você nos surpreende com seus textos que nos fazem ir além das entrelinhas.

Parabéns.
Bjs

Marcelo disse...

Excelente! Gostei muito também do encontro esquipático.
Incrivel a sensação de ler imaginar você o lendo. háhá, um privilégio.
Grande Abraço

Meire Martins disse...

Parabéns, André! como sempre texto maravilhoso!
liguem para! marcarmos algo!

bjs

Paula Braun disse...

Adorei, salsa, pimenta, sopa, paulista, e procurar ser (furada). Tá no Rio?
Beijo no casal.

Layla Lauar disse...

Adorei esta sopa de palavras e rimas, levemente apimentadas e dançantes.

Agradecida pela visita ao meu blog e por ter me permitido conhecer você... encantada com o que li aqui, saio embalada pelo som das suas palavras.

uma semana iluminada e feliz!

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Que casa mais instigante essa sua, caro amigo. Me permiti demorar por aqui. Me permiti fazer dela meu cobertor. Estou aquecida, me sinto movida!

Perfeito!

Muito obrigada pela visita, poeta!

Bjo.

Dry Neres

Nanita disse...

Adoravél poema, e eu um dia ainda irei caminhar pela Paulista :)

Anônimo disse...

Como sempre encantando, né Moço!

Obrigada por compartilhar mais um de seus poemas comigo.

Beijos em seu coração.

Gabi disse...

vc é salsa com pimenta?
eu sou doce de leite...

Anônimo disse...

Merry Christmas and Happy New Year, may all your wishes come true!