sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

INSANIDADE

Fiz do meu corpo a sua morada
E assim fiz porque queria
Tinha essa necessidade absoluta
De loucura não explícita

Eu me tornei seu amante por necessidade

Não foi uma escolha e sim por pura heresia

Era algo como um viciado em heroína:
Após a primeira picada uma órbita se abria

 

Não me pergunte se voltaria
Não cabe a mim responder coisas que não me instigam

Sou viciado por opção e escravo por destino

Após esse momento serei julgado novamente


Mas a leis normais ou divinas não me excitam

Tenho sempre minha companheira, fiel, abusiva e defensiva:

A MINHA INSANIDADE.
Foi ela que te levou pra cama nas noites de Cabiria.




Foto: André Auke.
Modelo: Jéssica Fogaça.



7 comentários:

Dama da Noite disse...

A entrega é o vicio mais gostoso que existe... ;)

Algumas coisinhas da Jéssica disse...

Hummmmmmmm...

Gabi disse...

Lindo!

Tata disse...

quase dá pra sentir o gosto da entrega...

Debora Cristina disse...

Conheço bem essa tal "INSANIDADE", sempre uso ela como alibi dos meus atos contra a minha humanidade, ai nem perco tempo me jugando...gosto muito dos seus texto, sentimentos claros no papel meu reflexo enfim eu gosto do que escreve.

Jhaíra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jhaíra disse...

André, dias atrás assisti novamente "noites de Cabiria". Realmente é bom ir para cama com ela...

Delícia mesmo ler seus textos. Você faz parte do pequeno grupo de escritores homens contemporâneos que não usa a palavra como escudo.

Parabéns!