terça-feira, 29 de junho de 2010

PUGNAR *




O mundo anda e eu estou aqui
O mundo grita e eu estou aqui
Não quero saber de nada.
Apenas estar quieto em mim

Não preciso desse barulho
Não hoje, não agora.
Não sairei nem para sorrir, nem para chorar.
Serei velado em cores pastéis.

Todos estão correndo de alguma coisa
Movimentos esclerosados.
Corpos sem paixões.
Talvez corram de si mesmos.

São bonecos expressionistas.
Hipocrisias da moda.
Disfarces de medos e carências.
Tão desconectados.

E nem percebem, nem percebem.
Hoje deito em meu corpo e assim fico
Até o Eu desaparecer.
Sinto-me cansado.

Por isso hoje não saio de mim.
Estou em repouso, sensivelmente em repouso.
Minha respiração quase para.
E assim ficarei.

Volto à superfície quando estiver pronto.
Pois uma batalha me espera.
Com olhos abertos não enxergava.
Agora reconhecerei em mim a própria guerra.

* tomar a defesa de;

foto: André Auke -Gap/França.

7 comentários:

DRI disse...

Exatamnete como me sinto...

JAIRO PEREIRA disse...

Meu velho, que texto maravilhoso, vou repetir o que escreveram em meu blog: Esse texto tem mordencia!
Parabéns Andre, como disse anteriormente...
Salve a era Auke.

Ps: Vc ainda tem muitas fotos de 2008 em gap e paris?
Não consegui resgatar nada no meu pc.

Linda foto!

Zabê Zai disse...

A imagem é incrível não poderia ser mais perfeita para suas palavras, que conectam tão bem delicadezas sutis!

Priscila Quedas disse...

O inimigo está dentro e não fora...

Gabi disse...

Sempre quero ficar aqui quietinha, mas metade de mim insiste em fazer de tudo (e ao mesmo tempo), resultando no ficar aqui quietinha sem fazer nada...

Bora Matos disse...

Muito bom isso, sinto o mesmo...que louco isso...é poesia...é vida...ou algo assim, muito bom isso...

FERNANDA VOLPE disse...

Apreciei